A defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) entrou com um pedido de habeas corpus junto ao Supremo Tribunal Federal (STF) solicitando a liberdade do petista. Os advogados acusam o juiz federal Sérgio Moro de perda de imparcialidade, por aceitar o convite do presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL) para o posto de ministro da Justiça e Segurança Pública no próximo governo.

No documento, a defesa de Lula solicita que o Supremo reconheça a suspeição de Moro para julgar o ex-presidente e pede a nulidade de todos os atos processuais e também de todas as ações penais propostas em face de Luiz Inácio Lula da Silva que estão ou estiveram sob a condução de Moro. O pedido tem caráter liminar, ou seja, caso aceito, o ex-presidente poderia ser solto imediatamente.