Dados divulgados pela Organização Mundial da Saúde (OMS) nesta segunda-feira, 12, mostram que o número de doses de antibióticos consumidas no Brasil está entre os maiores do mundo, superando a média da Europa, Canadá e Japão.  A principal preocupação é que o uso indiscriminado do remédio favorece o surgimento de bactérias multirresistentes que causam infecções difíceis de curar.

A pesquisa incluiu 65 países e o levantamento mostrou que o Brasil é o 19º país que mais consome o remédio, com 22 DD. O indicador foi o número de doses diárias (DD) consumidas para cada mil habitantes. Na Europa, a média é de 18 doses, enquanto no Canadá e no Japão o índice medido foi de 17 e 14 DD, respectivamente.

Essa diferença indica que alguns países provavelmente abusam no consumo, enquanto outros não possuem acesso aos remédios. O relatório mostra grande variação entre os países. O índice variou de 4 no Burundi (África) a 64 DD na Mongólia (Ásia).

Segundo especialistas, o uso inadequado de antibióticos tem levado a uma resistência cada vez maior das bactérias aos produtos o que fez com que a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) endurecesse a regra para prescrever antibióticos, no ano de 2010. Quase todos os remédios do tipo passaram a ser vendidos só com a retenção da receita.

Por outro lado, o avanço nas técnicas de diagnóstico é um dos caminhos para que prescrição do medicamento seja mais certeira.