O número de pessoas desaparecidas durante os devastadores incêndios na Califórnia – norte e sul do estado – passou de 1.000, informaram autoridades. O número de mortos foi a 74, somando os dois casos após uma semana e depois da localização de mais oito corpos. O xerife do condado de Butte, Kory Honea, disse nesta sexta-feira (16) que o número de desaparecidos saltou de 631 a 1.011 em todo o estado.

O número de mortos no “Camp Fire” foi a 71. Outros três mortos foram registrados no “Woolsey Fire”, no sul do estado, perto de Los Angeles.Número de desaparecidos dispara para mais de mil na Califórnia.

Número de desaparecidos dispara para mais de mil na Califórnia

Honea disse ainda que o número de desaparecidos não é definitivo. “A lista é dinâmica e flutua a cada dia por causa da situação caótica, e que isto não significa que todos estão mortos”. Ele afirmou também que há indivíduos na lista que podem estar a salvo, mas sem contato com amigos ou familiares.

Bairro totalmente dizimados pelas chamas em Paradise, Califórnia — Foto: Noah Berger / AP Photo

Bairro totalmente dizimados pelas chamas em Paradise, Califórnia — Foto: Noah Berger / AP Photo

De acordo com os últimos dados oficiais, Camp Fire destruiu mais de 12.000 imóveis, a maioria em Paradise, cidade completamente engolida pelas chamas. 57.500 hectares foram queimados.

Bombeiros controlaram 50% do fogo, mas as autoridades alertaram que as condições climáticas podem agravar os incêndios no final de semana, pois a previsão é de tempo muito seco e de fortes ventos, o que pode aumentar os focos de fogo.

40 mil pessoas seguem longe de suas casas, em acampamentos e abrigos.

Lane e Julie Walker observam lista de desaparecidos em Chico, na Califórnia — Foto: Terray Sylvester / Reuters

Lane e Julie Walker observam lista de desaparecidos em Chico, na Califórnia — Foto: Terray Sylvester / Reuters

Fumaça e cinzas

A fumaça do Camp Fire já aparece a quilômetros de distâncias, como em Sacramento e na Baía de San Francisco. Essas regiões estão em alerta.

Responsáveis da Saúde Pública recomendam para que moradores em locais onde a fumaça chegou não saiam de casa e alertam que partículas de cinzas e a própria fumaça podem irritar pulmões e olhos.

fonte:g1.globo.com