Na última semana, um ninho de escorpiões foi encontrado nas tubulações de um prédio na 209 Sul, em Brasília. Eram pelo menos cinco aracnídeos adultos e mais de 20 filhotes dentro de caixas de telefonia espalhadas pela região.

Mas a orientação da Vigilância Sanitária não é essa. De acordo com o técnico de vigilância ambiental, Luiz Gonzaga Silva, o ideal é não tentar tocar nos escorpiões.

“A pessoa só sofre acidente com escorpião no contato direto. Ele é um animal que não é agressivo, só quando a pessoa encosta nele é que ele pica. Todos os acidentes acontecem com objetos pessoas, como calçados, roupas, toalhas. Ou seja, na hora de pegar esses objetos”, esclarece o técnico.

 

O uso de inseticida comum, aplicado sobre o escorpião, é capaz de matá-lo. Luiz Gonzaga também orienta como evitar que os escorpiões entrem em casa.

“O escorpião não anda durante o dia exposto ao sol. Ele só anda à noite. Então para sair desse habitat dele que é a tubulação, é preciso que tenha danos nas caixas, caixas mal vedadas, para que ele possa sair à noite, mas mesmo assim antes de amanhecer o dia ele teria que se esconder embaixo de qualquer coisa que o pretege-se do sol”, acrescenta o especialista.

 

A espécie de escorpião encontrada na Asa Sul é a mais comum no Distrito Federal e vive especificamente na zona urbana. O habitat natural dele é em locais úmidos e quentes, como esgotos e tubulações. Esse aracnídeo costuma se alimentar de baratas e gafanhotos, insetos encontrados facilmente nestes ambientes.

Apesar das picadas dos escorpiões poderem levar à morte, eles não são agressivos. Geralmente, só atacam quando se sentem ameaçados. Por isso, fica o alerta: tentar capturar escorpiões pode colocar a sua vida em risco.

FONTE: Agência Brasil