Para o dia Nacional do Samba, 2 de dezembro, Goiânia ganha um presente: os cantores Dilsinho e Mumuzinho fazem show na capital, com participação de Marquinhos SP e Os Meninos. Os artistas se apresentam no evento Pagode da Patricinha, que circula por todo o país, em Goiânia será no Manakai Sport & Food. Os shows começam a partir das 15h.

Dilsinho

Dilsinho vem se firmando como o novo fenômeno do samba pop romântico nacional. Com shows cada vez mais lotados e com o público cantando em coro seus sucessos, Dilsinho foi disco de ouro com o single “Refém”, e figura no TOP 200 Chart Streaming da ABPD. Não existe ninguém do segmento pop romântico no Chart, apenas ele.

Além da música, o cantor tem paixão por artes em geral, e é esse sentimento que o inspira a cada novo clipe. Todos são gravados em formato de longa metragem como o último, da música “Cansei de Farra”, que rodou ao lado da atriz Mariana Xavier, lançado no dia 02 de Junho.

Dilsinho, que tem dois CDs lançados até o momento (“Dilsinho” e “O Cara Certo”), é autor de sucessos muito conhecidos do público que foram gravados por nomes como Alexandre Pires, Thiaguinho e o grupo Sorriso Maroto. Conhecido como Príncipe do Samba por seu jeito carinhoso e cavalheiro, o cantor tem shows fechados por todo o país pelos próximos meses.

Mumuzinho

Mumuzinho pede no título do seu novo disco: “Fala meu nome aí”. Mas nem precisa pedir, o cara tá em todas! Aos domingos, é uma das estrelas do “Esquenta”, na TV Globo; tem feito muitos shows por todo o país; é convidado para as melhores rodas de samba do Rio e São Paulo; não para de tocar nas rádios; e ainda participa sempre que pode de projetos como “Sambabook” e “Quintal do Pagodinho”.

Mas ele não está satisfeito e agora lança seu terceiro trabalho – mais um motivo para que seu nome fique nas paradas de sucesso. Depois do CD de estreia, em que se apresentou ao público, e de um projeto ao vivo, Mumuzinho parte para um trabalho de consolidação, em que reafirma sua personalidade artística.

Cercado no dia a dia por nomes como Zeca Pagodinho e Arlindo Cruz, o sambista bebe na fonte do partido alto do Cacique de Ramos, mas dá seu toque pessoal a esse pagode: Mumuzinho é romântico, e deixa isso claro em “Fala meu nome aí”.  Suas músicas cantam o amor e têm comunicação imediata com o público jovem, já que tratam de assuntos contemporâneos, vividos em qualquer roda de amigos ou esquinas do país.

Dia Mundial do Samba

O Dia Nacional do Samba ou Dia do Samba é comemorado anualmente em 2 de dezembro. O Brasil é conhecido internacionalmente pelo samba, um estilo musical e de dança típico do país. O Carnaval é a festividade em que o samba se torna ainda mais popular, virando o ritmo oficial da festa.

O samba é apreciado pelos brasileiros em todas as regiões do Brasil, porém, tradicionalmente, o ritmo se tornou “marca registrada” do Rio de Janeiro e da Bahia, principalmente. O Dia Nacional do Samba não é uma data comemorativa oficial. O dia do samba, a ser comemorado em 2 de dezembro, é que foi aprovado como lei estadual do Estado da Guanabara (atual município do Rio de Janeiro), conforme publicação no Diário Oficial do Estado da Guanabara, no dia 7 de agosto de 1964 da Lei n° 554, de 27 de julho de 1964.

Na Bahia, também havia um projeto de lei, de 1963, que pretendia instituir o Dia do Samba. Já considerando a sua aprovação, o projeto declara que as comemorações da data nesse ano homenageariam Ary Barroso, que foi um compositor brasileiro de música popular conhecido pelos seus sambas.

É possivelmente por esse motivo que se passou a divulgar a ideia de que a data teria sido criada em homenagem ao sambista, autor de uma das músicas brasileiras mais populares de sempre: “Aquarela do Brasil”, composta em 1939 e regravada por inúmeros artistas, inclusive Carmen Miranda, Elis Regina, Caetano Veloso, Frank Sinatra, entre outros. Assim, embora o Dia Nacional do Samba não seja oficial, a sua comemoração é conhecida nacionalmente.