Treze jogos foram removidos da loja após pesquisador denunciá-los ao Google.

racinggp.jpg

Aplicativos não tinham funcionalidade real, mas baixavam outros códigos para o celular da vítima. — Foto: Lukas Stefanko/Reprodução

O pesquisador de segurança Lukas Stefanko, da fabricante de antivírus Eset, alertou que um conjunto de 13 aplicativos cadastrados no Google Play, todos disfarçados de games e enviados pela mesma conta de desenvolvedor, conseguiu atingir a marca de 560 mil downloads.

Stefanko denunciou os aplicativos ao Google e não é mais possível encontrar os jogos na loja, mas quem baixou algum dos aplicativos deve se certificar que o mesmo foi removido do aparelho.

Todos os aplicativos foram enviados por um desenvolvedor que usava o nome de “Luiz O. Pinto”. Os jogos tinham temática de veículos e corrida, com nomes como “Truck Cargo Simulator” (“Simulador de Caminhão de Carga”) ou “Moto Cross Extreme”.

De acordo com Stefanko, o aplicativo, após ser instalado, remove a si mesmo da lista de aplicativos do Android e tenta baixar outros aplicativos para o celular. Não foi possível determinar exatamente o que esses aplicativos fazem porque, segundo o pesquisador, eles já estavam fora do ar quando ele realizou a análise.

Os aplicativos não tinham nenhuma função legítima. Apesar disso, eles chegaram a conseguir posições de destaque, constando entre os “apps em alta” da loja do Google.

Stefanko identificou diversos outros apps falsos esta semana. Entre os aplicativos estão nove programas sobre ‘empréstimos” que tiveram 40 mil downloads e outros nove apps destinados a crianças que somaram 23 mil downloads.

Sistema de segurança

De acordo com o Google, 0,08% dos aparelhos Android que instalam aplicativos exclusivamente do Google Play tiveram algum problema de segurança. A proporção é quase dez vezes maior entre os celulares que instalam programas fora do Google Play: 0,76%.

Parte desse resultado pode ser atribuída ao sistema de segurança que o Google utiliza para filtrar os aplicativos no Google Play. Apesar desses esforços, o Google Play segue tendo problemas com aplicativos ilegítimos, como os identificados por Stefanko.

(FONTE: G1)