imagenAs autoridades australianas ordenaram nesta quarta-feira a evacuação imediata de 8.000 pessoas da cidade de Gracemere, ameaçada pelos incêndios que ardem no estado de Queensland, no nordeste do país.

“Estamos anunciando a evacuação desde Stanwell até Gracemere. As condições são catastróficas. Temos que ter uma evacuação ordenada”, disse a primeira-ministra de Queensland, Annastacia Palaszczuk.

A ordem de evacuação foi emitida depois que o serviço de bombeiros declarou área de catástrofe nas regiões de Capricornia, Central Highlands e Coaldfield.

Nessa área está Gracemere, uma cidade de pouco mais de 11.000 habitantes situada 515 quilômetros ao noroeste de Brisbane, capital de estado, e onde nunca antes se tinha uma evacuação forçada nos seus 150 anos de história, segundo o jornal “The Courier Mail”.

As elevadas temperaturas provocaram 138 incêndios, segundo os últimos dados, que ardem sem controle há vários dias em Queensland.

A principal preocupação dos bombeiros se centra no incêndio declarado no parque nacional de Deepwater, 375 quilômetros ao norte de Brisbane, que desde o fim de semana calcinou mais de 20.000 hectares e quatro casas.

Os meteorologistas previram para hoje temperaturas acima dos 40 graus, fortes ventos e a possibilidade de que uma tempestade de areia se desloque pelo sudeste de Queensland, o que poderia piorar a situação.

Os incêndios mais graves ocorridos na Austrália nas últimas décadas aconteceram em fevereiro de 2009 no estado de Victoria (sudeste) e deixaram 173 mortos e 414 feridos, queimando uma superfície de 4.500 quilômetros quadrados.

Além dos incêndios em Queensland, vários subúrbios de Sydney, capital do estado de Nova Gales do Sul (leste), acordaram hoje inundados devido a condições meteorológicas sem precedentes que afetam a Austrália.

Os meteorologistas preveem 200 milímetros de chuva e ventos de 90 quilômetros por hora em Sydney, onde, além de inundações, se registram caos circulatório e blecautes em vários bairros.

A tempestade, com raios e fortes chuvas, provocou o fechamento de duas das pistas do aeroporto de Sydney e o cancelamento ou atraso de dezenas de voos nacionais e internacionais.

(FONTE: Site EFE)