O Ministério Público de Goiás (MP-GO) expediu recomendação, nesta terça-feira (18/12), à organização social (OS) Instituto Haver, que atualmente administra o Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo), para que cumpra, definitiva e imediatamente, suas obrigações trabalhistas em relação aos médicos do hospital. A promotora de Justiça Marilda Helena dos Santos, em substituição na 87º Promotoria de Justiça de Goiânia, também instaurou, na mesma data, inquérito civil público para investigar se há inadimplência, por parte da OS, em arcar com os salários dos profissionais.

Nos autos, a promotora cita que chegou à promotoria notícia de que os médicos não recebem seus salários desde setembro deste ano. Para instruir as apurações, o MP requisitou do Instituto Haver informações relacionadas ao pagamento dos médicos do Hugo, bem como das medidas que já foram tomadas para resolver o problema de atraso. O prazo estabelecido para resposta, tanto do pedido de informações no inquérito quanto da recomendação, é de 24 horas, contadas a partir do dia posterior ao recebimento do ofício.

Na recomendação, a promotora sustenta que garantir o salário dos médicos é imprescindível para que eles não precisem interromper a prestação de seus serviços, o que poderia causar danos irreparáveis à rede pública de saúde. 

(F0NTE: Site Ministério Público – GO)