Passageiros aguardam no terminal sul do Aeroporto de Gatwick (ontem quinta-feira (20) — Foto: Peter Nicholls/ Reuters

15453059565c1b7f64d03e3_1545305956_3x2_xlMilhares de passageiros ficaram  com voos atrasados ou tiveram voos desviados ontem  quinta-feira (20) depois que a única pista do aeroporto londrino de Gatwick foi fechada devido ao sobrevoo de drones.

A pista do aeroporto que fica ao sul de Londres, o segundo mais movimentado do Reino Unido, foi fechada na noite de quarta-feira (19). Ela foi reaberta brevemente por volta das 3h da quinta-feira, mas fechou 45 minutos depois após os equipamentos voltarem a ser observados voando perto de seu espaço aéreo.

Depois de iniciar uma investigação, a polícia afirmou que se trata de “um ato deliberado que busca perturbar as operações do aeroporto”, mas informou que “não há absolutamente nenhuma evidência que sugira uma ligação terrorista”.

Segundo a agência Reuters, o exército britânico está trabalhando com a polícia para ver se consegue resolver a situação.

“Há discussões em andamento com a polícia sobre qualquer capacidade militar que possa ser fornecida para ajudar em sua operação”, disse um porta-voz do Ministério da Defesa da Grã-Bretanha.

A administração do aeroporto disse que todos os voos foram suspensos. As filas nos balcões de informações são longas e muitos passageiros chegaram a dormir no chão. Os viajantes foram aconselhados a verificar o status de seus voos antes de se dirigirem para o aeroporto.

O diretor de operações da Gatwick, Chris Woodroofe, disse que 10 mil pessoas foram afetadas pela paralisação até a manhã desta quinta, de acordo com a Associated Press.

Cerca de 2 mil passageiros iriam embarcar em aviões que não conseguiram decolar de Gatwick, 2 mil não conseguiram deixar seus pontos de origem e cerca de 6 mil passageiros tiveram o voo desviado para outros aeroportos do Reino Unido, Paris ou Amsterdã.

A expectativa é a de que esse balanço suba acentuadamente, uma vez que mais de 100 mil passageiros estavam programados para passar por Gatwick na quinta-feira em 760 voos (entre chegadas e partidas).

Ele alertou que os efeitos cascata nos voos em termos de atrasos e cancelamentos serão sentidos ao menos nas próximas 24 horas. Ainda não há prazo para normalização dos voos. Nesta época do ano, os sistemas de controle de tráfego aéreo estão sob pressão por causa das festas de fim de ano.

Por Gatwick, que tem conexão com 228 cidades de 74 países, transitam anualmente 45 milhões de passageiros.

Riscos

A legislação britânica proíbe o uso de drones no perímetro de 1 km dos aeroportos. Os aparelhos também não devem exceder uma altitude de 122 metros.

“Estes drones voaram de forma ilegal e a lei não poderia ser mais clara, pois coloca em perigo a segurança das aeronaves, e pode ser punido com até cinco anos de prisão”, declarou o porta-voz de Theresa May.

Um aumento de quase colisões entre drones e aviões comerciais intensificou as preocupações com a segurança na indústria da aviação nos últimos anos, segundo a Reuters.

No Reino Unido, o número de choques evitados entre drones particulares e aeronaves mais do que triplicou entre 2015 e 2017, e 92 incidentes foram registrados no ano passado, segundo a britânica Airprox Board.

FONTE: g1.globo.com