Fechado há mais de um ano desde o acidente que feriu 13 pessoas no dia 26 de julho de 2017, quando um brinquedo quebrou, o Parque Mutirama, em Goiânia, segue sem previsão de data para reabertura. Pelo menos é o que garante a promotora do caso, Leila Maria de Oliveira.

Durante 2018 foram determinadas várias datas para a reabertura do parque, com a última delas, marcada para o mês de outubro, na comemoração do aniversário de Goiânia, mas o que mais uma vez não aconteceu.

Em entrevista à Rádio CBN na manhã desta sexta-feira (28/12), a promotora do caso, Leila Maria de Oliveira, garantiu que ainda não há data para que o parque seja reaberto. “O Mutirama só vai ser reaberto quando o engenheiro responsável assinar os laudos em que comprova que todos os brinquedos foram reparados e estão seguros para uso”, informa.

Leila coloca que a partir do momento que esses laudos assinados forem apresentados e entregues, o parque pode ser reaberto para testes no mês de janeiro. E que após essa reabertura para teste, a atração pode ser aberta em definitivo para o público.

Sobre as várias datas de reabertura

Na entrevista, a promotora afirmou que os responsáveis pela obra tinham conhecimento que não teria como reabrir o parque nas datas marcadas por eles. “Só vai reabrir o parque quando todos os brinquedos estiverem reparados, não há possibilidade dele ser reaberto enquanto isso”, conclui.

Interdição

O parque está interditado desde o dia 26 de julho de 2017, quando o brinquedo twister quebrou e deixou 13 pessoas feridas. Na época a direção da unidade informou que o brinquedo quebrado era inspecionado diariamente. Entretanto, após uma perícia, foi constatado que o brinquedo quebrou por falta de manutenção.

O laudo pericial mostrou que a atração não poderia estar em funcionamento, pois foi encontrada uma fissura no eixo central do equipamento, derivada de um “processo de fadiga”.

Na época, a assessoria da Agetul esclareceu que o brinquedo Twister seria removido do Parque Mutirama.

(FONTE: Site Dia Online)