Bolsonaro é empossado como presidente do Brasil

 

Presidente eleito Jair Bolsonaro chega ao Congresso Nacional para a solenidade de posse.
Presidente eleito Jair Bolsonaro chega ao Congresso Nacional para solenidade de posse – Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Posse no Congresso Nacional

Ao chegar ao Congresso, foi recebido pelos presidentes do Congresso, Eunício Oliveira (MDB-CE), e da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), além do presidente do Supremo Tribunal Federal, Dias Toffoli, e procuradora-geral da República, Raquel Dodge. Em sessão solene no Congresso, fez o juramento de posse no Congresso Nacional e às 15h10 foi empossado presidente do Brasil. Jair Bolsonaro jurou “manter, defender e cumprir a Constituição, observar as leis, promover o bem geral do povo brasileiro e sustentar a União, a integridade e a independência do Brasil.” O mesmo foi feito por seu vice, Hamilton Mourão. No primeiro discurso como presidente da República, Bolsonaro, em cerca de dez minutos, anunciou que fará reformas estruturantes e criará um circulo virtuoso de confiança na economia. Ele pediu o apoio do povo unido e do Congresso para reconstruir o país. Segundo ele, os “enormes desafios” poderão ser superados com a “sabedoria de ouvir a voz do povo.”

Jair Bolsonaro toma posse como presidente da República em cerimônia no Congresso Nacional.
Jair Bolsonaro toma posse como presidente da República em cerimônia no Congresso Nacional e faz o primeiro discurso – José Cruz/Agência Brasil

Revista às tropas

Após o discurso, Bolsonaro deixou o plenário do Congresso. Neste momento, foi homenageado com salva de tiros, apresentação da Esquadrilha da Fumaça e passou as tropas em revista, quando se emocionou.

 

Presidente Jair Bolsonaro deixa o Congresso Nacional após tomar posse. Depois de passar as tropas em revista, o presidente seguiu para o Palácio do Planalto.
Jair Bolsonaro deixa o Congresso Nacional após tomar posse. Ao passar as tropas em revista, o presidente se emocionou – Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

O presidente Jair Bolsonaro passa em revista a tropa em frente ao Congresso Nacional.
O presidente Jair Bolsonaro passa em revista a tropa em frente ao Congresso Nacional – José Cruz/Agência Brasil

Faixa presidencial

O presidente e a primeira-dama deixaram o Congresso aos gritos do público de “capitão chegou”. Eles fizeram novo desfile em carro aberto até o Palácio do Planalto. Lá, o casal, junto com o vice Hamilton Mourão e a esposa, subiram a rampa do Planalto, onde foram recebidos por Michel Temer e Marcela Temer.

Michel Temer Marcela Temer recebem o presidente Jair Bolsonaro e o vice presidente, Hamilton Mourão no Palácio do Planalto, para cerimônia de transmissão da Faixa Presidencial.
Michel Temer e Marcela Temer recebem o presidente Jair Bolsonaro e o vice presidente, Hamilton Mourão, no Palácio do Planalto – Valter Campanato/Agência Brasil

Bolsonaro recebeu a faixa de Temer no Parlatório

Presidente Jair Bolsonaro saúda o povo depois de receber a faixa presidencial.
Bolsonaro recebeu a faixa de Michel Temer – Marcelo Camargo/Agência Brasil

 

Ele saudou o público que acompanhava a cerimônia.

Presidente Jair Bolsonaro saúda o público depois de receber a faixa presidencial de Michel Temer, no Palácio do Planalto.
Presidente Jair Bolsonaro saudou o público depois de receber a faixa presidencial de Michel Temer, no Palácio do Planalto – Marcelo Camargo/Agência Brasil

Primeira-dama faz discurso em Libras

Quebrando o protocolo do cerimonial, a primeira-dama Michelle Bolsonaro fez um breve discurso, de pouco mais de 3 minutos, no Parlatório do Palácio do Planalto, antes do pronunciamento do presidente Jair Bolsonaro à nação. O discurso dela foi em Libras (linguagem de sinais destinada à comunidade surda), na qual é especialista, e traduzido simultaneamente. Michelle Bolsonaro prometeu atuar em favor das pessoas com deficiência e daqueles que se julgam esquecidos pela sociedade. De acordo com ela, há um “chamado” no seu coração para se dedicar ao próximo e agora como primeira-dama poderá ampliar as atividades sociais que já desempenha.

A primeira-dama Michelle Bolsonaro, fez discurso em Libras (Língua Brasileira de Sinais), no parlatório do Palácio do Planalto durante solenidade de posse do marido, presidente Jair Bolsonaro.
A primeira-dama Michelle Bolsonaro fez discurso em Libras no Parlatório do Palácio do Planalto durante solenidade de posse do marido – Marcelo Camargo/Agência Brasil

Atendendo a pedido do público, beijou o marido.

A primeira-dama Michelle Bolsonaro, o presidente Jair Bolsonaro e o vice-presidente, general Hamilton Mourão, durante cerimônia de transmissão da Faixa Presidencial, no Palácio do Planalto.
A primeira-dama Michelle Bolsonaro, o presidente Jair Bolsonaro e o vice-presidente, general Hamilton Mourão, durante cerimônia de transmissão da faixa presidencial, no Palácio do Planalto. – Marcelo Camargo/Agência Brasil

Pronunciamento à nação

Logo após receber a faixa presidencial de Michel Temer, o presidente Jair Bolsonaro discursou no Parlatório do Palácio do Planalto, de frente para o público que lotava a Praça dos Três Poderes. Recepcionado aos gritos de “mito” e “o capitão chegou”, Bolsonaro propôs a criação de um “movimento para restabelecer padrões éticos e morais que transformarão nosso país”. Ele defendeu ainda que “a corrupção, os privilégios,as vantagens, os favores politizados, partidarizados” acabem e fiquem “no passado para que o governo e a economia sirvam de verdade para a nação”.O momento mais aplaudido de seu discurso ocorreu quando proferiu a seguinte frase: “O povo começou a se liberar do socialismo”.

O presidente Jair Bolsonaro, primeira-dama Michelle Bolsonaro, o vice-presidente general Hamilton Mourão e sua esposa Paula Mourão, saudam o povo no parlatório do Palácio do Planalto.
O presidente Jair Bolsonaro, a primeira-dama Michelle Bolsonaro, o vice-presidente Hamilton Mourão e a esposa Paula Mourão cumprimentam o público – Marcelo Camargo/Agência Brasil
Presidente Jair Bolsonaro e o vice-presidente Hamilton Mourão exibem uma bandeira nacional durante discurso no parlatório do Palácio do Planalto.
Presidente Jair Bolsonaro e o vice-presidente Hamilton Mourão durante discurso no Parlatório do Palácio do Planalto. – Marcello Casal Jr/Agência Brasil

Público na Praça dos Três Poderes

Desde o início da manhã, horas antes do começo da posse, o público se reuniu em pontos da Esplanada dos Ministérios e na Praça dos Três Poderes. Muitas pessoas vieram em caravanas para presenciar a cerimônia. Na Praça dos Três Poderes, acompanharam todos os passos de Bolsonaro por meio de telões, sempre aplaudindo e gritando “mito” quando o presidente aparecia nas imagens. Em alguns momentos, o público chegou a vaiar algumas das autoridades que apareciam.

Populares aguardam na Praça dos Três Poderes, a cerimônia de posse do presidente eleito, Jair Bolsonaro, em Brasília.
Populares acompanharam a cerimônia de posse de Jair Bolsonaro – Marcelo Camargo/Agência Brasil

Bombeiros usaram jatos de água para aliviar o calor para quem acompanhava a posse.

Público acompanha a posse de Bolsonaro na Praça dos Três Poderes.
Público acompanha a posse de Bolsonaro na Praça dos Três Poderes – Antonio Cruz/Agência Brasil

Posse dos ministros

No Palácio do Planalto, Jair Bolsonaro deu posse aos 21 dos 22 ministros e tirou a foto oficial. A transmissão de cargos ocorrerá nesta quarta-feira (2). O presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, foi conduzido para o cargo, mas sua posse depende ainda de aprovação do Congresso Nacional. Seguindo o protocolo, o primeiro a receber posse foi o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro.

A última etapa da posse foi a recepção no Palácio do Itamaraty, quando Bolsonaro recebeu os cumprimentos dos convidados e autoridades estrangeiras.

O presidente Jair Bolsonaro posa para foto oficial.
fonte: agenciabrasil.ebc.com.br

Caiado visita hospitais e busca solução conjunta para garantir atendimento

WhatsApp Image 2019-01-02 at 06.33.53 (1)

Governador esteve no Materno-Infantil e no Hugo, onde recebeu dados alarmantes da situação das unidades de Saúde do Estado

Já no primeiro dia o governador de Goiás, Ronaldo Caiado (Democratas), visitou os hospitais Materno-Infantil (HMI) e de Urgências de Goiânia (Hugo). Em caráter de urgência, a visita ocorreu por volta das 22 horas desta terça-feira, 1º, após assumir o governador assumir o cargo e prestigiar a posse o presidente Jair Bolsonaro (PSL).

Acompanhado do vice-governador Lincoln Tejota (PROS), do secretário de Saúde, Ismael Alexandrino, e do deputado federal eleito Dr. Zacharias Calil (Democratas), Caiado foi conferir a situação de duas das mais importantes unidades de Saúde do Estado, que têm enfrentado graves problemas administrativos e financeiros.

Na última semana, a organização social que administra o Materno-Infantil chegou a fechar as portas da unidade por falta de insumos básicos e medicamentos, após consecutivos atrasos nos repasses por parte da última gestão.

“A situação é preocupante. Viemos porque o colega Zacharias Calil me informou que o diretor do Materno-Infantil o comunicou que não havia mais como suportar o hospital aberto a partir de amanhã pela falta do básico. O único de referência na área em Goiás, já com incapacidade de absorver novos pacientes, cirurgias canceladas e filas enormes. É um quadro caótico, assistimos vidas de crianças que estão correndo alto risco”, revelou.

Caiado foi recebido pelo diretor-geral do HMI, Márcio Gramosa, e por profissionais que trabalhavam no local. Os dados são, de fato, alarmantes e caso não sejam tomadas medidas imediatas, há o risco de que uma nova suspensão no atendimento aconteça.

O responsável pela unidade classificou a situação como “caótica”, destacando que há médicos com mais de três meses de salário atrasado, dívida imediata de R$ 2 milhões com fornecedores de insumos e o rombo ultrapassa os R$ 65 milhões.

“Dezenas de crianças que dependem de tratamento especial estão sendo colocadas em risco. O momento é de buscar entendimento e de pedir um crédito junto aos colegas e mostrar que temos interesse em resolver, mas não é aceitável fechar as portas. Sei das dificuldades, vamos encará-las e temos que achar uma solução. Não posso admitir que um hospital como esse tenha uma resposta simplista. Isso aqui é prioridade acima de qualquer gasto”, garantiu o governador.

Para resolver o impasse, Caiado e Ismael Alexandrino marcaram uma reunião já para esta quarta-feira, 2, quando discutirão com a OS e fornecedores alternativas para que o atendimento não seja paralisado.

O secretário de Saúde reafirmou o compromisso de solucionar a crise no Materno-Infantil e sinalizou possíveis medidas excepcionais a serem tomadas imediatamente.

“Vamos buscar um entendimento um pouco melhor do que o Estado consegue garantir em relação aos compromissos emergenciais. Há uma dívida grande, que impacta tanto o suprimento do hospital, quanto também o pagamento dos funcionários, então há dois grandes problemas. Buscaremos uma solução conjunta, uma construção em várias mãos, que certamente chegaremos a uma solução”, adiantou.

De acordo com a Secretaria da Saúde, o HMI é referência no atendimento infantil e conta com 167 leitos, sendo 25 de UTI (cinco UTIs maternas, dez pediátricas e dez neonatais); 22 leitos de Ucin (Unidade de Cuidados Intermediários Neonatal), sendo 17 UCcin Convencional e 5 de Ucin Canguru; 122 distribuídos em leitos de internação e observação; e ainda com 30 leitos de retaguarda no Hospital e Maternidade Vila Nova.

*Caiado toma posse e diz que momento agora é de trabalho*

_Novo governador reafirma compromissos com transparência, combate à corrupção e eficiência_

“Me ajudem a governar, é momento de trabalho, vamos ao trabalho, vamos resgatar Goiás.” Com um chamado à população e às lideranças políticas, Ronaldo Caiado (DEM) encerrou seu discurso de posse como novo governador de Goiás. Na cerimônia da manhã desta terça-feira (1º), com plenário e galeria lotados na Assembleia Legislativa, o democrata deu o tom do novo governo: “Onde tiver Goiás vai ter a mão forte do Estado”.

No início de seu discurso, Caiado reconheceu que este é o momento “mais desafiador” de sua carreira política. Ele lembrou o resultado das urnas em outubro: “Vocês sabem da supremacia que existia em Goiás. Mas o povo goiano resolveu reagir. Saiu em campanha no Estado todo dizendo uma palavra só: mudança”.

Para ele, os que se acreditavam “donos do poder” foram obrigados a entender o novo momento do Estado e do País: não há mais espaço para “articulações e marketagens”. A mensagem das urnas é clara: “Governador de Estado é funcionário público que tem de dar satisfação à população, estar à frente dos problemas, saber diagnosticá-los”.

Em resposta às novas demandas do eleitorado, Caiado propôs transparência acima de tudo. “Vou devolver o Estado ao povo de Goiás, este é meu compromisso maior”, disse. Em seguida, o governador enumerou as principais bandeiras de seu governo: segurança, educação, saúde e tolerância zero com a corrupção. Entre suas prioridades, inseriu ainda a eficiência nos gastos públicos, a valorização do servidores e o combate às desigualdades regionais.

Caiado agradeceu o voto de confiança da população e também o apoio dos deputados estaduais para garantir a governabilidade do Estado. No encerramento de seu discurso, demonstrou otimismo: “Sou um homem forjado na luta e temente a Deus. Peço a ele que me ilumine todos os dias. Vamos recuperar o Estado de Goiás, vocês podem ter certeza!”

Já empossado, o governador seguiu para o Palácio das Esmeraldas, onde recebeu a faixa de seu antecessor José Eliton (PSDB). A Praça Cívica se encheu de populares, jornalistas e políticos. Ali, Caiado passou em revista as tropas e fez um discurso rápido. Entrou no Palácio das Esmeraldas, para onde deve se mudar em breve, e logo depois partiu para o aeroporto. Seu compromisso na parte da tarde foi prestigiar a posse do presidente Jair Bolsonaro (PSL) em Brasília.

*Autoridades*
A posse de Ronaldo Caiado e de seu vice, Lincoln Tejota (PROS), teve a presença de familiares, eleitores, políticos, empresários e autoridades estaduais e federais. A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, foi uma delas. Também compareceram à Assembleia o prefeito de Goiânia, Iris Rezende (MDB), o presidente do TJ-GO, Gilberto Marques, Presidente do TRT-GO, Platon Teixeira, o procurador-geral de Justiça, Benedito Torres, o defensor público geral do Estado, Domilson Rabelo, e o arcebispo metropolitano, Dom Washington Cruz.

Outros convidados ilustres foram o presidente do TCE, Celmar Rech, o presidente do TCM, Joaquim de Castro, o senador eleito Vanderlan Cardoso (Progressistas), o senador eleito Luiz Carlos do Carmo (MDB) e os atuais senadores Wilder Morais (Progressistas, futuro secretário de Indústria e Comércio), Davi Alcolumbre (DEM-AP), Chico Rodrigues (DEM-RR) e Elmano Férrer (PTB-CE).

Muitos deputados federais eleitos e atuais marcaram presença: Roberto Balestra (Progressistas), Carlos Melles (DEM-MG), Luis Carlos Heinze (Progressistas-RS), Alcides Rodrigues (PRP), Vitor Hugo (PSL), Lucas Vergílio (SD), Delegado Waldir (PSL), Zacarias Calil (DEM) e Pauderney Avelino (DEM-AM). Além dos deputados estaduais em peso, estavam lá o reitor da UFG, Edward Madureira, e o presidente da OAB-GO, Lúcio Flávio Siqueira de Paiva.

A família de Ronaldo Caiado participou das solenidades e se emocionou em muitos momentos. A mulher, Gracinha Caiado, e os filhos Ana Vitória, Ronaldo, Maria e Marcela ficaram o tempo todo ao lado do novo governador, assim como irmãos e cunhados.

[CORRELATA]

*José Nelto: “Acaba a era das trevas”*

Como parte da cerimônia de posse de Ronaldo Caiado, o deputado José Nelto (Podemos) discursou representando a base de apoio ao novo governo. Na tribuna, não poupou críticas às gestões Marconi Perillo e José Eliton.

O parlamentar destacou que a chegada do governo Caiado encerra um período de “trevas” no Estado. “O governo do tempo novo foi uma tragédia para Goiás”, disse ele, antes de citar uma dívida de R$ 32 bilhões que será herdada pela nova gestão estadual. “O senhor precisará de 8 a 12 anos para terminar as obras inacabadas”, complementou.

Nelto afirmou, no entanto, que confia na seriedade do novo governo. “Ronaldo Caiado não veio para virar a página deste tempo. Veio para fechar este livro e começar um outro, pautado na honestidade e na competência. Goiás vai viver uma nova era de progresso e desenvolvimento”, encerrou.

MEGA DA VIRADA SAI PARA 52 APOSTAS

megasenadsc_5262

A 10ª edição da Mega da Virada 2018, concurso especial 2.110 da Mega-Sena, sorteou R$ 302,5 milhões na noite desta segunda-feira (31). Os números sorteados foram 05- 10 – 12 – 18 – 25 – 33, e o super prêmio saiu para 52 apostas. Cada ganhador vai receber R$5.818.007,36.

As apostas premiadas são de Rio de Janeiro/RJ (4), Euclides da Cunha/BA (3), São Paulo/SP (3), Belo Horizonte/MG (2), Rio Branco/AC (1), Manaus / AM (1), Feira de Santana / BA (1), Mata de São João/ BA (1), Salvador/BA (1), Valença /BA (1), Várzea Alegre/ CE (1), Brasília/DF (1), Bela Vista de Goiás/GO (1), Jataí /GO (1), Pedreiras/MA (1), São Luís/MA (1), Alfenas/MG (1), Divinópolis/MG (1), Martinho Campos/MG(1), São Sebastião do Paraíso/ MG (1), Corumbá/MS (1), Costa Rica/MS (1), Coxim/MS (1), Almeirim/ PA (1), Itaituba/PA (1), João Pessoa/PB (1), Lagoa do Itaenga/PE (1), Campo Mourão/ PR (1), Curitiba/PR (1), Angra dos Reis/ RJ (1), Barra do Piraí/RJ (1), Nova Iguaçu/RJ (1), Santo Antônio de Pádua/RJ (1), Blumenau/SC (1), Adamantina/SP (1), Guarujá/SP (1), Pedreira/SP (1), Praia Grande/ SP (1), Ribeirão Preto/ SP (1), São Bernardo do Campo/ SP (1), Votorantim/SP (1). Três apostas ganhadoras foram realizadas no Portal Loterias Online.

O valor total do prêmio superou todas as estimativas da CAIXA. Desde o dia 05 de novembro, a Mega da Virada 2018 vendeu 70,5 milhões de bilhetes em todo o país, num total de 253 milhões de apostas. A arrecadação total foi de R$ 886,04 milhões. No Portal Loterias Online (www.loteriasonline.caixa.gov.br) foram vendidos 4 milhões de bilhetes.

Proteja seu prêmio:
Prêmios com valor superior a R$ 1.903,98 são pagos exclusivamente nas agências da CAIXA. Sendo o bilhete ao portador, é importante que o ganhador, antes mesmo de sair de casa, se identifique no verso da aposta. As informações necessárias são nome completo, CPF, assinatura e endereço. Dessa forma, o apostador garante que ninguém, além dele mesmo, retire o prêmio. Em caso de bolão, cada participante pode fazer o mesmo no verso de seu recibo individual de cota.

Os ganhadores também devem ficar atentos às datas. Os prêmios prescrevem após 90 dias da data do sorteio. Decorrido esse prazo, o prêmio prescrito é repassado ao Fundo de Financiamento ao Ensino Superior (FIES). Por isso, é importante que o apostador confira o resultado e vá buscar seu eventual prêmio o quanto antes.

Pesquisa Datafolha aponta que 61% são contrários à posse de armas

24773307

Nova pesquisa Datafolha, divulgada ontem 31.12.18 aponta que a quantidade de pessoas contrárias à liberação da posse de arma aumentou desde outubro. No levantamento, 61% dos entrevistados disseram que a posse deve ser proibida. O argumento é de que ela representa ameaça à vida de outras pessoas.

 

Em outubro, o percentual de entrevistados que desaprovavam a posse era de 55%. Já o percentual dos que defendem o direito de o cidadão ter arma era 41% na pesquisa anterior e passou para 37%. A diferença está no limite da margem de erro da pesquisa, que é de dois pontos percentuais para mais ou para menos. O Sul é a região mais favorável à posse de armas, com 47%, enquanto o Nordeste é a que menos apoia, com 32%.

 

A pesquisa foi feita antes de o presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) informar a intenção de assinar decreto para permitir a posse de armas a quem não tenha ficha criminal. Ele também pretende tornar o registro definitivo, sem precisar renovação. Segundo a pesquisa, entre os que disseram ter votado em Bolsonaro, o direito de possuir arma é defendido por 53%. Mas, questionados sobre a necessidade de facilitar o acesso a armas, 59% são contrários.

Segundo a pesquisa, 71% das mulheres são contra a posse, enquanto o índice entre homens é de 51%. Também há variação de acordo com ensino e renda. Quarenta e um por cento dos entrevistados com Ensino Superior defendem o direito de ter arma, enquanto apenas 34% dos que têm Ensino Fundamental compartilham da mesma opinião.

 

Quem tem melhor poder aquisitivo, com renda superior a 10 salários mínimos, é mais favorável à posse: 54% dos entrevistados. Entre os que ganham até dois salários, o percentual fica em 32%. Sobre facilitar o acesso às armas, apenas 30% dos entrevistados são favoráveis. Os contrários são 68%.

 

O Estatuto do Desarmamento prevê que para ter a posse de arma é preciso ser maior de 25 anos, ter ocupação lícita, residência certa, não ser condenado ou responder a inquérito ou a processo criminal, comprovar capacidade técnica e psicológica e declarar a necessidade da arma. O porte é proibido, exceto para forças de segurança e guardas, entre outros.

fonte: gauchazh.clicrbs.com.br

Sessão solene de posse do novo Governador será hoje 01 de janeiro, às 9 horas, na Assembleia Legislativa

download (4)

A Assembleia Legislativa do Estado de Goiás (Alego) vai dar posse ao governador eleito Ronaldo Caiado (DEM) e ao vice eleito Lincoln Tejota (Pros), às 9 horas de hoje  1º de janeiro de 2019. A sessão solene de posse será presidida pelo Chefe do Poder Legislativo, deputado estadual José Vitti (PSDB), no Plenário Getulino Artiaga.

A sessão de compromisso e de posse do Governador e do Vice foi convocada em cumprimento aos termos do artigo 11, parágrafo XVIII, da Constituição do Estado de Goiás, e do artigo 143, inciso I, do Regimento Interno da Assembleia Legislativa. A cerimônia de posse será transmitida ao vivo pela TV Assembleia, pelo canal 8 da NET, canal aberto 61,2 e pela TV Brasil Central canal aberto 13.1 ou 520 na NET.

As duas autoridades que serão empossadas devem chegar pela entrada principal do Palácio Alfredo Nasser e serão recepcionadas pelo presidente da Casa e uma comissão de deputados, além de outras autoridades e convidados presentes. Já no Plenário Getulino Artiaga, José Vitti vai abrir os trabalhos da sessão solene e passará a compor a mesa diretiva dos trabalhos. O deputado estadual Talles Barreto (PSDB) vai discursar pela oposição e o deputado estadual José Nelto (Podemos) pela situação.

Antes, porém, o ritual começa com a leitura dos nomes dos componentes da mesa dos trabalhos. Em seguida, a banda da Polícia Militar de Goiás executa o Hino Nacional Brasileiro. Para assumir o cargo, o novo chefe do Executivo Estadual entrega a declaração de Imposto de Renda ao presidente da Assembleia, faz o juramento e assina o livro de posse. Em seguida, será realizada a nomeação do vice-governador. Encerrando a cerimônia ocorre o discurso do novo governante do Estado.

O Regimento Interno, em seus artigos 167 e 168, estipula ainda que o Governador tomará assento à direita do Presidente do Legislativo, ficando o vice-governador à esquerda da Mesa. O juramento será feito a convite do Presidente, primeiro pelo Governador e depois pelo vice-governador, que assumirão o seguinte compromisso: “Prometo manter, defender e cumprir a Constituição da República e a do Estado, observar as leis, promover o bem geral e sustentar a integridade do Estado de Goiás”.

Após a solenidade na Assembleia Legislativa, o já empossado Governador deve conceder entrevista à imprensa, receber cumprimentos no Salão Nobre e depois seguirá para a Praça Cívica, no Centro de Goiânia, onde, na entrada do Palácio das Esmeraldas, será realizada outra solenidade, em que José Eliton (PSDB) passará a faixa de Governador a Ronaldo Caiado.

fonte: portal.al.go.leg.br