Com um ponto em três jogos, o time brasileiro fica distante dos quatro primeiros colocados e mais longe do Mundial da Polônia. Na quinta, enfrenta o Equador às 20h50 e só pode pensar na vitória para manter chances de classificação.

Mais agressiva, mais vertical e objetiva, a seleção brasileira sub-20 só não saiu perdendo no primeiro tempo por milagre do goleiro Phelipe. Soa contraditório, mas é um resumo deste Brasil sem confiança que, mesmo com mais chegadas, posse de bola e ataques, só finalizou uma vez no gol: em chute de Tetê. Igor e Toró, ambos do São Paulo, se entenderam bem no lado esquerdo e tiveram apoio de Luan Cândido, que substituiu Carlos.

veja mais: https://globoesporte.globo.com/futebol/futebol-internacional/jogo/04-02-2019/brasil-uruguai.ghtml

fonte: GLOBO