Antenados e ambiciosos, profissionais de mais de 60 anos viram empreendedores digitais.

Diversas motivações levam pessoas mais experientes para este mercado, como a realização de objetivos pessoais ou a busca por investimentos

_104200638_gettyimages-612239458-1Startup, coworking, big data, cloud computing, firewall, chatbot, malware… até pouco tempo, esses termos eram utilizados mais comumente pelos jovens. Hoje em dia, no entanto, eles têm feito parte do dia a dia de muitos dos que passaram dos 60 anos, e olha que no Brasil já são mais de 30 milhões, segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

O fato é que é o aumento da longevidade – só para se ter uma ideia, a expectativa de vida no país subiu de 45,5 anos em 1940 para 75,8 anos em 2016 -, a queda da taxa de fecundidade (a projeção para este ano é de 1,77 filho por mulher e, em 2060, 1,66) e a melhora na saúde como um todo estão promovendo mudanças na sociedade, fazendo com que uma grande parcela da população idosa adie a aposentadoria e empreenda, em especial na área de tecnologia e, mais ainda, na de negócios digitais (ou online). A pesquisa qualitativa e quantitativa “Tsunami Prateado”, conduzida pela Pipe.Social e Hype60+ com 2.330 entrevistados, mostra exatamente isso. Pelos dados computados, um em cada 4 (25%) declarou que deseja ter sua própria empresa no futuro, e muitos estão criando negócios inovadores, até por conta da dificuldade em encontrar produtos e serviços que atendam as suas necessidades.

De acordo com a pesquisa Empreendedorismo na 3ª Idade, realizada pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), no geral, são quatro os motivos que levam uma pessoa com 60 anos ou mais a continuar empreendendo ou mesmo iniciar-se neste caminho: ter uma fonte de renda ou complementar a renda familiar, identificação de uma área ou segmento bom para investir, questões pessoais (mais independência, qualidade de vida e liberdade) e concretização de um sonho, objetivo ou vocação.

O levantamento ainda demonstra que 40% dos entrevistados resolveram montar um negócio próprio após os 60 anos. Dentre os pontos positivos dessa empreitada, eles disseram trabalhar com o que se gosta (18%), poder aprender sempre com os erros e acertos (14%) e ter a sensação de satisfação por ter alcançado os objetivos (14%). Os negativos foram ter que assumir sozinho as frustrações e os fracassos (15%), pagar impostos (13%) e correr riscos (11%).

A pesquisa do Sebrae pontua que estes profissionais também se diferenciam por serem mais seguros e corajosos e por terem credibilidade, mais tranquilidade, liberdade e respeito.

(Fonte: https://noticias.r7.com)

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: