Arquivo da categoria: Educação

Fies: inscrição começa na próxima terça-feira, 25 de junho

inscrições para o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) e para o Programa de Financiamento Estudantil (P-Fies) abrem na próxima terça feira (25/6) e encerram no dia 1º de julho. Para se inscrever, o interessado deve acessar o site do Fies.

Para participar, o interessado deve ter feito o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), a partir do 2010. E tenha obtido nas provas uma média igual ou superior a 450 pontos. Além disso, é preciso ter tirado nota acima de zero na redação.

Quem pode fazer a inscrição no Fies

Para participar do Fies, é preciso ter renda familiar mensal bruta per capta de, no máximo, três salários mínimos por pessoa e estar matriculado em um curso superior cadastrado no programa e que seja reconhecido pelo Ministério da Educação. Candidatos inadimplentes com o programa ou que já tenham sido contemplados anteriormente não podem participar.

Saiba mais em: https://diaonline.com.br/2019/06/22/fies-inscricao-comeca-na-proxima-terca-feira-25-de-junho/?utm_source=Suelen+Mota&utm_campaign=diaonline-author

OAB pede no STF suspensão de congelamento de verbas de universidades

O Conselho Federal da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) entrou com uma ação no STF (Supremo Tribunal Federal) pedindo a suspensão imediata dos congelamentos de verbas de universidades públicas anunciados pelo ministro da Educação, Abraham Weintraub. Para a OAB, os congelamentos ferem a autonomia universitária e causaram um “caos no sistema educacional”.

No final de abril, Abraham afirmou que cortaria verba de universidades que, em suas palavras, estivessem promovendo “balbúrdia” em seus campi. Posteriormente, o governo anunciou que o congelamento seria linear e atingiria todas as universidades.

Estima-se que o congelamento seja de R$ 2 bilhões, referentes às despesas discricionárias, ou seja, aquelas sobre as quais as universidades têm alguma margem de controle. Eles não incluem salários do corpo docente e dos demais servidores efetivos, por exemplo.

Saiba mais em:https://www.emaisgoias.com.br/oab-pede-no-stf-suspensao-de-congelamento-de-verbas-de-universidades/

Começam nesta terça (11) as inscrições para o ProUni

Começam hoje (11) as inscrições do Programa Universidade para Todos (ProUni). Ao todo, serão ofertadas, para o segundo semestre deste ano, 169.226 bolsas de estudos em instituições particulares de ensino superior, sendo 68.087 bolsas integrais e 101.139 parciais. O prazo para participar da seleção vai até 14 de junho. A inscrição deverá ser feita pela internet, no site do Prouni.
Os participantes podem escolher até duas opções de curso. Durante o período de inscrição, o candidato pode alterar as opções. Será considerada válida a última inscrição confirmada.

As bolsas de estudo ofertadas pelo ProUni são parciais, de 50% do valor da mensalidade, e integrais, de 100%. As bolsas integrais são destinadas a estudantes com renda familiar bruta per capita de até 1,5 salário mínimo. Já as bolsas parciais contemplaram os candidatos que têm renda familiar bruta per capita de até 3 salários mínimos.

Podem se inscrever candidatos que não tenham diploma de curso superior e que tenham participado do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2018. Além disso, os estudantes precisam ter cursado o ensino médio completo em escola pública ou em instituição privada como bolsista integral.

É preciso ter obtido ainda uma nota mínima de 450 pontos na média aritmética das notas obtidas nas provas do Enem. O cálculo é feito a partir da soma das notas das cinco provas do exame e, depois, dividindo por cinco. Outra exigência é a de que o aluno não tenha tirado zero na redação.

Também podem participar do programa estudantes com deficiência e professores da rede pública.

Saiba mais em: https://www.emaisgoias.com.br/comecam-nesta-terca-11-as-inscricoes-para-o-prouni/

(Fonte: Mais Goiás)

Estudantes podem se inscrever no Sisu a partir de hoje

Começam hoje (3) as inscrições para a segunda edição do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) deste ano. Ao todo, serão ofertadas 59.028 vagas em 76 instituições públicas de ensino em todo o país. As inscrições podem ser feitas até sexta-feira (7), na página do programa.

Podem participar do Sisu os estudantes que fizeram prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) em 2018 e obtiveram nota na redação acima de zero.

O resultado da chamada regular será divulgado no próximo dia 10. As matrículas devem ser realizadas de 12 a 17 de junho. Aqueles que não forem selecionados poderão participar da lista de espera de 11 a 17 de junho. A convocação desses estudantes ocorrerá após o dia 19 deste mês.

O candidato do Sisu pode solicitar até duas opções de vaga, especificando, em ordem de preferência, as suas opções em instituição de educação superior participante, com local de oferta, curso e turno, e a modalidade de concorrência.

Nota de corte

Durante o período de inscrição, uma vez por dia, o Sisu calcula a nota de corte, que é a menor para o candidato ficar entre os potencialmente selecionados.

As notas de corte para cada curso são baseadas no número de vagas disponíveis e no total dos candidatos inscritos naquele curso, por modalidade de concorrência.

De acordo com o Ministério da Educação (MEC), o cálculo é usado apenas com uma referência para auxiliar o candidato no monitoramento de sua inscrição e não garante a seleção para a vaga ofertada.

Até o fim do período de inscrição, os candidatos podem alterar as opções de curso. Será válida a última opção confirmada.

Saiba mais em: http://agenciabrasil.ebc.com.br/educacao/noticia/2019-06/estudantes-podem-se-inscrever-no-sisu-partir-de-hoje

(Fonte: Agência Brasil)

Campeões da energia limpa, Participação de sol e vento na energia elétrica sobe 20 vezes em 10 anos no Brasil;

Em abril deste ano, o país alcançou a marca de 15 mil megawatts (MW) de potência instalada (capacidade de geração) de energia eólica (do vento), o equivalente à usina de Itaipu, segunda maior hidrelétrica do planeta. No mesmo mês, a energia solar também chegou ao seu maior patamar, com pouco mais de 2.000 MW.

Com isso, a energia gerada pelos ventos e pela irradiação solar já representa 10% da matriz elétrica nacional, composta pelo conjunto de fontes disponíveis para a produção de eletricidade. Isso representa uma alta de 20 vezes em relação a dez anos, quando o percentual era de 0,5%, segundo o Anuário Estatístico da Energia Elétrica.

Os bons ventos do Nordeste

O Brasil tem 600 parques eólicos e 7.500 aerogeradores (turbinas eólicas), segundo a Associação Brasileira de Energia Eólica (ABEEólica). O Nordeste, sozinho, é responsável por cerca de 80% da energia eólica gerada em todo país. O estado líder na produção é o Rio Grande do Norte

Entre os cinco estados que lideram na energia eólica, quatro são do Nordeste:

Rio Grande do Norte: com capacidade de 4.066 MW e 151 usinas

Bahia: com 3.951 MW e 153 usinas

Ceará: com 2.045 MW e 79 parques

Rio Grande do Sul: com 1.832 MW e 80 parques

Piauí: com 1.638 MW e 60 usinas de geração de energia.

”A região Nordeste e algumas localidades do Sul têm ventos fortes, constantes e estáveis, características essenciais para se produzir energia por mais tempo”

Bernardo Folly de Aguiar, superintendente de Projetos de Geração da Empresa de Pesquisa Energética (EPE)

Por causa dos bons ventos brasileiros, o fator de capacidade médio do país (percentual de tempo em que as usinas conseguem gerar eletricidade) foi de 42% em 2018, segundo a ABEEólica. A média mundial gira em torno de 25%.

Radiação solar o ano inteiro

No país, a geração de energia solar é dividida em centralizada (GC), produzida por 2.400 grandes usinas, e distribuída (GD), cuja origem são cerca de 66 mil painéis solares fotovoltaicos implantados em casas, comércios e indústrias, entre outros. Os dados são da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e da Associação Brasileira de Energia Fotovoltaica (Absolar).

Que estados lideram na energia solar?*

Bahia: capacidade de produção de 669,9 MW e 26 empreendimentos

Minas Gerais: com 666 MW e 26 usinas

Piauí: potência instalada de 278,2 MW e nove usinas

São Paulo: com 238,9 KW e 12 empreendimentos

Ceará: com 160,3 KW e oito usinas

* Os números não levam em consideração a geração distribuída, só as grandes usinas.

Cinturão solar

Essas localidades, conforme a 2ª edição do Atlas Brasileiro de Energia Solar, divulgado no ano passado, estão no “Cinturão Solar”, região que vai do Nordeste ao Pantanal, passa pelo norte de Minas Gerais e pega o sul da Bahia e o nordeste de São Paulo.

No Nordeste, por exemplo, a radiação global média é de 5,9 kWh/m², enquanto no Sul é de 5 kWh/m².

Apesar dessa diferença, segundo o presidente do conselho da Absolar, Ronaldo Koloszuk, todo território nacional recebe elevada radiação solar o ano inteiro.

”Para você ter uma ideia, o local menos ensolarado do Brasil está em uma região de Santa Catarina, mas mesmo lá o sol gera mais eletricidade que o melhor sol da Alemanha” . Ronaldo Koloszuk, presidente do conselho da Absolar.

A Alemanha, no entanto, é o quarto maior gerador de energia solar do mundo, com 42 mil MW de potência instalada, 20 vezes a mais que o Brasil.

”Ainda existe uma grande diferença em comparação a outros países porque a energia solar é uma fonte nova no Brasil. Estamos engatinhando ainda”. Ronaldo Koloszuk, da Absolar .

Veja mais em:https://economia.uol.com.br/reportagens-especiais/estados-producao-energia-solar-eolica/index.htm#campeoes-da-energia-limpa

Bolsa Universitária prorroga prazo para a contrapartida, em Goiás

A Organização das Voluntárias de Goiás (OVG) prorrogou até o dia 14 de junho o prazo para estudantes entreguem a contrapartida do Programa Bolsa Universitária (PBU). Ao todo, 19 mil universitários são atendidos pelo benefício e, segundo a direção da OVG, nem todos iriam conseguir cumprir o prazo final anterior que era até 31 de maio.

Segundo a assessoria de imprensa da OVG, a organização decidiu aumentar o período porque os bancos de sangue não estão conseguindo atender a demanda de bolsistas. A doação de sangue faz parte de uma das contrapartidas de alguns dos estudantes para seguir com o benefício.

“Com a prorrogação, as organizações parceiras do Programa também terão mais tempo para se adaptar ao novo sistema de lançamento dos pontos de contrapartida, o que vem provocando um atraso no processo”, diz a nota enviada.

A Bolsa Universitária é destinada a alunos matriculados em 85 faculdades particulares de Goiás. De acordo com a OVG, o programa já atingiu 187 mil estudantes beneficiados desde sua criação, em 1999.

Os bolsistas podem atuar em uma das 1320 organizações parceiras, cumprindo jornada compatível com seus horários na faculdade ou no emprego.

Ainda segundo a assessoria, em julho acontece a renovação do benefício e, além de comprovar se ainda se enquadra nos critérios para seguir como bolsista, o aluno tem ter cumprido a sua contrapartida.

Veja mais em:https://g1.globo.com/go/goias/noticia/2019/05/22/bolsa-universitaria-prorroga-prazo-para-a-contrapartida-em-goias.ghtml

Mais de 75% ainda não pagou a taxa de inscrição do Enem

A maioria dos participantes do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) ainda não pagou a taxa de inscrição de R$ 85. Apenas 24,1% tinham o pagamento confirmado no último balanço do Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira), no final da tarde de segunda-feira (20).

O pagamento pode ser feito até quinta-feira, 23 de maio, em qualquer banco, casa lotérica ou agência dos Correios.

O participante deve ficar atento às regras de pagamento do seu banco para não perder o prazo de quitação da Guia de Recolhimento da União (GRU Cobrança), emitida com seu CPF. Novas regras da Federação Brasileira de Bancos (Febraban) exigem que boletos de cobrança sejam registrados. Este é o primeiro ano em que os boletos do Enem são atrelados ao CPF do participante. A medida evita pagamentos duplicados, ou com valores incorretos.

Confirmação da inscrição

Quem teve direito à gratuidade está com a participação confirmada desde o término da inscrição, automaticamente. Já os participantes pagantes só terão a inscrição confirmada após a compensação bancária que pode demorar até três dias úteis. Portanto, não basta pagar o boleto, é preciso aguardar que o banco comunique o Inep oficialmente.

No caso de pagamentos agendados, a confirmação da inscrição também não será imediata. Além de aguardar a data programada, é preciso considerar também o prazo de compensação. O Inep alerta sobre a importância de os participantes conferirem e garantirem que a conta bancária tenha saldo para quitação do pagamento na data do agendamento.

Veja mais em:https://noticias.r7.com/educacao/mais-de-75-ainda-nao-pagou-a-taxa-de-inscricao-do-enem-21052019

Todos os estados e o DF têm atos contra bloqueios na educação

Todos os estados e o Distrito Federal registraram, nesta quarta-feira (15), manifestações contra o bloqueio de recursos para a educação anunciado pelo Ministério da Educação (MEC). Pela manhã, houve atos em ao menos 149 cidades. Universidades e escolas também fizeram paralisações após convocação de entidades ligadas a sindicatos, movimentos sociais e estudantis e partidos políticos.

Opresidente Jair Bolsonaro afirmou que não gostaria de contingenciar verbas, mas que isso é necessário. Ele também declarou que os manifestantes são “uns idiotas úteis, uns imbecis”.

“A maioria ali é militante. É militante. Não tem nada na cabeça. Se perguntar 7 x 8 não sabe. Se perguntar a fórmula da água, não sabe. Não sabe nada. São uns idiotas úteis, uns imbecis que estão sendo utilizados como massa de manobra de uma minoria espertalhona que compõe o núcleo de muitas universidades federais do Brasil”, afirmou Bolsonaro nesta quarta, durante visita ao Texas (EUA).

Saiba mais em:
https://g1.globo.com/educacao/noticia/2019/05/15/cidades-brasileiras-tem-atos-contra-bloqueios-na-educacao.ghtml

“Cortar recursos da ciência é permitir que o futuro de crianças pobres, como eu fui, fique para trás”

Centenas de estudantes marcharam pela Avenida Paulista, na tarde da última quarta-feira, contra a asfixia financeira gerada nas universidades públicas pelo corte de recursos anunciado pelo presidente Jair Bolsonaro. Andavam devagar, dispostos a parar e conversar com as pessoas que passavam na rua sobre suas pesquisas —e o impacto prático que elas podem ter na sociedade, mesmo que não seja a tão curto prazo. Tentavam sensibilizar a população sobre os graves efeitos dos cortes orçamentários, que devem afetar desde o pagamento de água e energia nas instituições até mesmo programas de assistência a estudantes pobres.

Neste mesmo dia em que buscavam nas ruas apoio popular para o investimento em ciência no Brasil, foram surpreendidos por uma nova informação que coloca as pesquisas do país na berlinda:  o Governo Bolsonarobloqueou de forma generalizada bolsas de mestrado e doutorado oferecidas pela Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior). O corte atinge não só as ciências humanas —área que o ministro da Educação, Abraham Weintraub, já afirmou não ser prioritária em sua gestão—, mas também as de ciências. Diante dos cortes que consideram graves, estudantes de diferentes cursos mostram suas caras e abrem suas histórias ao EL PAÍS, encampando uma luta para reverter decisões que podem não apenas afetar o futuro profissional deles, mas a produção de conhecimento no país.

Participantes da lista de espera do ProUni devem comprovar informações

Candidatos a uma bolsa do Programa Universidade para Todos (ProUni) que estão na lista de espera têm hoje (12) e amanhã (13) para apresentar a documentação necessária nas instituições de ensino superior nas quais pretendem estudar.

Todos os estudantes que optaram por participar da lista devem apresentar os documentos que comprovam as informações prestadas na hora da inscrição, independentemente de serem selecionados. No site do ProUni está disponível a documentação necessária.

As próprias instituições de ensino vão convocar os estudantes para preencher as bolsas de estudo remanescentes.

Saiba mais em: http://sagresonline.com.br/noticias/educacao-e-tecnologia/90460-participantes-da-lista-de-espera-do-prouni-devem-comprovar-informacoes

(Fonte: Sagres)