Arquivo da categoria: Política

Bolsonaro critica conduta do STF sobre homofobia e sugere um ministro evangélico

O presidente Jair Bolsonaro (PSL), durante participação na 46ª Convenção Nacional das Assembleias de Deus começou seu discurso agradecendo o apoio que a igreja deu no período de campanha e mencionou sobre a “fama de políticos” serem “mentirosos”, disse também, que foi “debochado” pela imprensa durante sua campanha eleitoral.

“É nossa fama, e a imprensa começou a debochar de mim, dizendo que sem mentir não chegaria à presidência. Nós, mais uma vez mostramos que a imprensa está errada” afirmou.

Bolsonaro ainda disse que outra pessoa em seu lugar “dificilmente” resistiria as pressões. O presidente fez questão de mencionar versículos da bíblia, afirmando que o estado é laico, mas ele é cristão. “Se me permitem plagiar a ministra Damares, eu também sou terrivelmente cristão”, falou.

O presidente questionou a conduta legislativa dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) ao votar a favor da criminalização da homofobia e indagou se não era a hora de haver um ministro evangélico no Tribunal.

“Será que não está na hora de termos um ministro do STF evangélico?”, perguntou o presidente, ao falar para um público da igreja Assembleia de Deus Ministério Madureira. O discurso foi seguido de uma forte salva de palmas, e os presentes chegaram a levantar em aprovação às palavras do presidente.

Rosa Weber, Luiz Fux, Edson Fachin, Alexandre Moraes, Roberto Barroso e o relator, Celso de Mello, já manifestaram voto favorável a criminalização e aproveitaram para criticar a morosidade do Congresso Nacional em criar leis ou alterações das leis para combater a homofobia e a LGBTFobia.

Entre os 11 integrantes da corte máxima brasileira, nove deles se apresentam como católicos cristãos, Luiz Fux é judeu e Roberto Barroso se considera cristão sem dogmas (ele tem o pai católico e a mãe judia).
(Fonte: Sagres)

Caiado e Iris recebem Bolsonaro em sua primeira visita oficial em Goiás

O governador Ronaldo Caiado e o prefeito Iris Rezende receberam o presidente Jair Bolsonaro na manhã desta sexta-feira (31) no Aeroporto Santa Genoveva em sua primeira visita oficial a Goiás. O presidente vai tomar café no Palácio das Esmeraldas e depois seguirá para Campinas, para participar da 46ª Assembleia-Geral Extraordinária da Convenção das Assembleias de Deus, localizada na Rua Senador Jaime, em Campinas.

Durante entrevista no Palácio das Esmeraldas, Bolsonaro disse que o que estiver no alcance irá atendar aos pedidos do governador Ronaldo Caiado. “O Estado tem seus problemas como o Brasil todo, o que tiver ao nosso alcance vamos estamos prontos para atender o Caiado” afirmou.

O governador Ronaldo Caiado ressaltou os problemas financeiros do Estado e a necessidade do acesso aos Fundos Constitucionais. “Fiz uma exposição de motivos, mostrando a necessidade de nós podermos ter acesso aos fundos constitucionais, para dar a estrutura mínima necessária para podermos atender a demanda das regiões mais carentes do Estado, aonde não tem sequer as rodovias, a necessidade às vezes de uma policlínica instalar”.

A decisão do presidente de vir a Goiânia, de acordo com o governador, foi tomada de última hora. Ele já confirmou que voltará na quarta-feira (5 de junho) para o lançamento do programa Juntos pelo Araguaia, em Aragarças.

(Fonte: Sagres)

Em conferência, EUA apoiam entrada do Brasil na OCDE

Os Estados Unidos declararam, nesta terça-feira (23), apoio oficial à entrada do Brasil na Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE) , de acordo com uma publicação da Embaixada dos EUA no Twitter. A declaração de apoio foi feita durante a conferência ministerial da organização em Paris.

O presidente americano, Donald Trump, já havia anunciado, durante encontro com o presidenteJair Bolsonaro há dois meses, que apoiaria a entrada do Brasil na organização – desde que o país retirasse o tratamento especial na Organização Mundial do Comércio, a OMC.

Pelo acordo, o Brasil iria abdicar de uma condição de tratamento diferenciado nos acordos comerciais internacionais em troca do apoio norte-americano.

Desde então, representantes do governo dos EUA teriam respondido de maneira dúbia se iriam, de fato, se posicionar a favor do Brasil na conferência ministerial que acontece nesta quinta (23), de acordo com o jornal “Valor Econômico”.

O ministro Ernesto Araújo, de Relações Exteriores participa, em Paris, da reunião ministerial do conselho da OCDE nesta quinta (23).

Desde 2007, o Brasil é parceiro-chave da organização, mas não um membro. Em 2017, o país pediu formalmente para participar da OCDE, e aguarda uma resposta.

A OCDE é apelidada de “clube dos ricos”, e ingressar nela seria uma sinalização de que o país cumpre uma série de medidas econômicas ligadas à inflação e ao controle fiscal.

A principal vantagem apontada por especialistas é que, se o país fizer parte da organização, conseguirá atrair investidores do mundo inteiro.

Veja mais em:https://g1.globo.com/mundo/noticia/2019/05/23/em-reuniao-eua-apoiam-entrada-de-brasil-na-ocde.ghtml

Com alta real de 1,28%, arrecadação tem melhor mês de abril em 5 anos

A arrecadação de impostos, contribuições e demais receitas federais registrou alta real (descontada a inflação) de 1,28% em abril, na comparação com o mesmo mês do ano passado, para R$ 139,030 bilhões, informou nesta quinta-feira (23) a Secretaria da Receita Federal.

No mesmo período de 2018, a arrecadação somou R$ 137,269 bilhões. Os valores foram corrigidos pela inflação.

De acordo com dados da Receita Federal, este foi o melhor resultado para meses de abril desde 2014 (ou seja, em 5 anos) – quando o resultado havia sido de R$ 140,487 bilhões .

Os números também mostram que a arrecadação vem oscilando. Em março, havia registrado uma queda real de 0,58%. Em fevereiro, havia subido 5,36%, mas, em janeiro, houve uma recuo real de 0,66%. Nos últimos sete meses, a arrecadação recuou em quatro deles – sempre na comparação com o mesmo período do ano anterior.

Veja mais em:https://g1.globo.com/economia/noticia/2019/05/23/com-alta-real-de-128percent-arrecadacao-tem-melhor-mes-de-abril-em-5-anos.ghtml

Campeões da energia limpa, Participação de sol e vento na energia elétrica sobe 20 vezes em 10 anos no Brasil;

Em abril deste ano, o país alcançou a marca de 15 mil megawatts (MW) de potência instalada (capacidade de geração) de energia eólica (do vento), o equivalente à usina de Itaipu, segunda maior hidrelétrica do planeta. No mesmo mês, a energia solar também chegou ao seu maior patamar, com pouco mais de 2.000 MW.

Com isso, a energia gerada pelos ventos e pela irradiação solar já representa 10% da matriz elétrica nacional, composta pelo conjunto de fontes disponíveis para a produção de eletricidade. Isso representa uma alta de 20 vezes em relação a dez anos, quando o percentual era de 0,5%, segundo o Anuário Estatístico da Energia Elétrica.

Os bons ventos do Nordeste

O Brasil tem 600 parques eólicos e 7.500 aerogeradores (turbinas eólicas), segundo a Associação Brasileira de Energia Eólica (ABEEólica). O Nordeste, sozinho, é responsável por cerca de 80% da energia eólica gerada em todo país. O estado líder na produção é o Rio Grande do Norte

Entre os cinco estados que lideram na energia eólica, quatro são do Nordeste:

Rio Grande do Norte: com capacidade de 4.066 MW e 151 usinas

Bahia: com 3.951 MW e 153 usinas

Ceará: com 2.045 MW e 79 parques

Rio Grande do Sul: com 1.832 MW e 80 parques

Piauí: com 1.638 MW e 60 usinas de geração de energia.

”A região Nordeste e algumas localidades do Sul têm ventos fortes, constantes e estáveis, características essenciais para se produzir energia por mais tempo”

Bernardo Folly de Aguiar, superintendente de Projetos de Geração da Empresa de Pesquisa Energética (EPE)

Por causa dos bons ventos brasileiros, o fator de capacidade médio do país (percentual de tempo em que as usinas conseguem gerar eletricidade) foi de 42% em 2018, segundo a ABEEólica. A média mundial gira em torno de 25%.

Radiação solar o ano inteiro

No país, a geração de energia solar é dividida em centralizada (GC), produzida por 2.400 grandes usinas, e distribuída (GD), cuja origem são cerca de 66 mil painéis solares fotovoltaicos implantados em casas, comércios e indústrias, entre outros. Os dados são da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e da Associação Brasileira de Energia Fotovoltaica (Absolar).

Que estados lideram na energia solar?*

Bahia: capacidade de produção de 669,9 MW e 26 empreendimentos

Minas Gerais: com 666 MW e 26 usinas

Piauí: potência instalada de 278,2 MW e nove usinas

São Paulo: com 238,9 KW e 12 empreendimentos

Ceará: com 160,3 KW e oito usinas

* Os números não levam em consideração a geração distribuída, só as grandes usinas.

Cinturão solar

Essas localidades, conforme a 2ª edição do Atlas Brasileiro de Energia Solar, divulgado no ano passado, estão no “Cinturão Solar”, região que vai do Nordeste ao Pantanal, passa pelo norte de Minas Gerais e pega o sul da Bahia e o nordeste de São Paulo.

No Nordeste, por exemplo, a radiação global média é de 5,9 kWh/m², enquanto no Sul é de 5 kWh/m².

Apesar dessa diferença, segundo o presidente do conselho da Absolar, Ronaldo Koloszuk, todo território nacional recebe elevada radiação solar o ano inteiro.

”Para você ter uma ideia, o local menos ensolarado do Brasil está em uma região de Santa Catarina, mas mesmo lá o sol gera mais eletricidade que o melhor sol da Alemanha” . Ronaldo Koloszuk, presidente do conselho da Absolar.

A Alemanha, no entanto, é o quarto maior gerador de energia solar do mundo, com 42 mil MW de potência instalada, 20 vezes a mais que o Brasil.

”Ainda existe uma grande diferença em comparação a outros países porque a energia solar é uma fonte nova no Brasil. Estamos engatinhando ainda”. Ronaldo Koloszuk, da Absolar .

Veja mais em:https://economia.uol.com.br/reportagens-especiais/estados-producao-energia-solar-eolica/index.htm#campeoes-da-energia-limpa

Desistências no Mais Médicos crescem e chegam a 19% das vagas preenchidas após saída de cubanos

Cerca de 19% dos médicos brasileiros que entraram no Mais Médicos desistiram de participar do programa até o mês de maio. Dados obtidos peloG1 junto ao Ministério da Saúde mostram que 1.325 profissionais com registro profissional brasileiro se desligaram do Mais Médicos até agora.

O número de desistências cresceu 25% em relação ao balanço anterior, que indicava 1.052 médicos desistentes nos três primeiros meses do ano.

Após a saída de Cuba do programa, em novembro, um edital foi aberto para preencher as 8.517 vagas deixadas pelos cubanos no Mais Médicos. No total, 7.120 vagas foram preenchidas por médicos formados no Brasil.

Em um novo edital, publicado em dezembro, as 1.397 vagas remanescentes foram oferecidas a médicos brasileiros formados no exterior. O Ministério da Saúde alega que não há desistências nesse grupo: todos concluíram o módulo de acolhimento obrigatório e foram direcionados aos municípios escolhidos durante o edital.

Diversos municípios brasileiros convivem com a ausência de médicos nos serviços de saúde desde a saída dos profissionais cubanos. Na Grande São Paulo, por exemplo, 19 cidades somam 106 vagas ociosaspor conta da saída dos cubanos.

Veja mais em:https://g1.globo.com/ciencia-e-saude/noticia/2019/05/23/desistencias-no-mais-medicos-crescem-e-chegam-a-19percent-das-vagas-preenchidas-apos-saida-de-cubanos.ghtml

‘Lamento o ocorrido’, diz Moro sobre mudança do Coaf para o Ministério da Economia

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, lamentou nesta quinta-feira (23), em rede social, o resultado da votação da medida provisória da reforma administrativa que transferiu o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) do Ministério da Justiça para o Ministério da Economia.

texto-base da MP foi aprovado na noite desta quarta-feira (22), por votação simbólica, no plenário da Câmara dos Deputados. O destaque da MP que previa a manutenção do Coaf no Ministério da Justiça foi rejeitado por 228 votos a 210 (saiba como votou cada deputado).

Moro afirmou que ‘lamenta o ocorrido’ e agradeceu aos deputados que votaram pela manutenção do Coaf no Ministério da Justiça.

“Sobre a decisão da maioria da Câmara de retirar o COAF do Ministério da Justiça, lamento o ocorrido. Faz parte da democracia perder ou ganhar. Como se ganha ou como se perde também tem relevância. Agradeço aos 210 deputados que apoiaram o MJSP e o plano de fortalecimento do COAF”, disse.

veja mais em:https://g1.globo.com/politica/noticia/2019/05/23/lamento-o-ocorrido-diz-moro-sobre-mudanca-do-coaf-para-o-ministerio-da-economia.ghtml

Preparem-se para tempos difíceis, adverte presidente chinês em meio a guerra comercial

A China tem que se preparar para tempos difíceis já que a situação internacional é cada vez mais complexa, disse o presidente chinês, Xi Jinping, em comentários divulgados pela mídia estatal nesta quarta-feira (22), no momento em que o país enfrenta aumentos de tarifas em uma guerra comercial com Washington.

Os dois países estão elevando as tarifas comerciais sobre os produtos um do outro, depois que as negociações para resolver a disputa foram interrompidas.

A disputa se intensificou desde a semana passada com Washington colocando a empresa chinesa de equipamentos de telecomunicações Huawei Technologies em uma lista negra de comércio, um golpe potencialmente devastador para a empresa que agitou as cadeias de fornecimento de tecnologia e investidores.

Durante uma viagem de três dias nesta semana para a província de Jiangxi, um dos berços da revolução comunista da China, Xi pediu às pessoas que aprendam as lições das dificuldades do passado.

“Hoje…precisamos superar vários grandes riscos e desafios nacionais e estrangeiros e conquistar novas vitórias para o socialismo com características chinesas”, afirmou Xi segundo a agência estatal de notícias Xinhua.

“Nosso país ainda está em um período de importantes oportunidades estratégicas para o desenvolvimento, mas a situação internacional é cada vez mais complicada”, acrescentou.

“Devemos estar conscientes da natureza complexa e de longo prazo de vários fatores desfavoráveis em casa e no exterior, e nos preparar adequadamente para várias situações difíceis.”

Veja mais em:https://g1.globo.com/economia/noticia/2019/05/22/preparem-se-para-tempos-dificeis-adverte-presidente-chines.ghtml

Moro diz que novo decreto contempla ‘críticas’ e ‘restringe’ flexibilização de uso de armas

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, afirmou nesta quarta-feira (22) que o novo decreto sobre armas e muniçõescontemplou “críticas” feitas ao texto anterior e “restringe um pouco” a flexibilização promovida pelo presidente Jair Bolsonaro.

Moro deu as declarações durante entrevista à Rádio Bandeirantes. O governo publicou nesta quarta no “Diário Oficial da União” um novo decreto que altera o texto assinado pelo presidente Jair Bolsonaro em 7 de maio.

Os decretos tratam da aquisição, cadastro, registro, posse, porte e a comercialização de armas de fogo e de munição. Entre as alterações anunciadas estão o veto ao porte de fuzis, carabinas ou espingardas para cidadãos comuns, além de nova regra na prática de tiro por menores de idade e no transporte de arma em voo.

O direito à posse é o direito de ter a arma em casa (ou no trabalho, no caso de proprietários). O direito ao porte é a autorização para transportar a arma fora de casa.

Moro explicou na entrevista que novo decreto contempla críticas feitas em relação ao texto anterior. Na opinião do ministro, o Planalto foi “sensível” as manifestações apresentadas.

“Esse decreto que foi publicado hoje, de certa maneira, ele atende alguma das críticas que foram formuladas em relação a esse decreto de duas semanas atrás”, declarou.

Veja mais em:https://g1.globo.com/politica/noticia/2019/05/22/moro-diz-que-novo-decreto-contempla-criticas-e-restringe-flexibilizacao-de-uso-de-armas.ghtml

Maiores de 14 anos poderão praticar tiro com autorização dos dois pais, diz novo decreto de Bolsonaro

novo decreto sobre armas publicado nesta quarta-feira (22) fixa em 14 anos a idade mínima para praticar tiro esportivo. Também estabelece a exigência de autorização de ambos os responsáveis do adolescente, ou de apenas um deles, na falta do outro.

texto anterior publicado pelo governo de Jair Bolsonaro, em 8 de maio, não estabelecia limite de idade e permitia a prática de tiro com o aval de apenas um dos responsáveis legais.

Antes dos decretos de Bolsonaro, crianças e adolescentes só podiam praticar tiro com autorização judicial.

Veja como era antes do governo Bolsonaro e como fica a legislação sobre o assunto, segundo o último decreto:

COMO ERA: A prática de tiro desportivo por menores de dezoito anos deverá ser autorizada judicialmente e deve restringir-se aos locais autorizados pelo Comando do Exército, utilizando arma da agremiação ou do responsável quando por este acompanhado.

COMO FICOU: A prática de tiro desportivo, nas modalidades aceitas pelas entidades nacionais de administração do tiro, por pessoas com idade entre quatorze e dezoito anos:

I – será previamente autorizada conjuntamente por seus responsáveis legais, ou por apenas um deles, na falta do outro;

II – se restringirá tão somente aos locais autorizados pelo Comando do Exército; e

III – poderá ser feita com a utilização de arma de fogo da agremiação ou do responsável legal, quando o menor estiver por este acompanhado.