Antônio Wilson Vieira Honório, o Coutinho, maior parceiro da carreira de Pelé, morreu nesta terça-feira, aos 75 anos. Os dois juntos ganharam todos os títulos possíveis pelo Santos entre os anos de 1958 e 1967. O atacante foi campeão do mundo pela seleção brasileira em 1962, na Copa do Mundo do Chile.

“A pequena área perdeu um dos seus professores”, escreveu o Santos em seu Twitter. “Nesse momento de imensa tristeza, o que nos fará lembrar eternamente de Coutinho são suas glórias, gols e histórias marcantes”, continuou.

Natural de Piracicaba, Coutinho chegou ao Santos com 14 anos, levado pelo técnico Lula. Com um domínio de bola impressionante e grande poder de finalização, logo ganhou a posição de centroavante do time, em substituição a Pagão, outro grande craque do time de Vila Belmiro.

Foi o companheiro ideal de Pelé. Diz a lenda que Coutinho passou a usar uma faixa branca no punho direito para diferenciar do camisa 10 e passar a ter também os elogios pelas lindas jogadas que realiza em campo. Para muitos, o atacante tinha mais visão de jogo que Pelé na hora de finalizar, o que lhe valeu o apelido de “gênio da pequena área”

Saiba mais em: https://www.terra.com.br/esportes/santos/coutinho-o-maior-parceiro-de-pele-morre-aos-75-anos,109aa75b541c28eb2b375fe26a68d215wcc22tqr.html

(Fonte: Terra)