Criação dos ministérios das Cidades e da Integração Nacional pode ser abandonada

Diante da tensão entre o Palácio do Planalto e o Congresso Nacional, líderes defendem votar ainda nesta semana, na Câmara dos Deputados, a medida provisória 870, que reestrutura a Esplanada dos Ministérios, mas sem a recriação das pastas das Cidades e da Integração Nacional. O martelo ainda não foi batido, mas há uma articulação para derrubar a volta dos dois ministérios, aprovada na comissão especial.

A avaliação é que o ambiente político não é mais propício para o retorno dos dois ministérios. Segundo líderes ouvidos pelo blog, a recriação disparou uma disputa pelos comandos das pastas, e grupos ligados ao presidente Jair Bolsonaro passaram a divulgar que a medida era a volta do toma lá dá cá, uma pressão de partidos do Centrão para votar projetos de interesse do Palácio do Planalto.

Um líder disse ao blog, reservadamente, que inicialmente a volta dos dois ministérios era uma forma de pacificar a relação com a base aliada, entregando o Ministério das Cidades para um nome com bom trânsito junto ao presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e partidos do Centrão. Só que, logo depois, a medida passou a ser bombardeada.

“Agora, o que era uma solução, virou um problema. Então, talvez a melhor decisão agora seja desistir da proposta”, acrescentou.

Veja mais em: https://g1.globo.com/politica/blog/valdo-cruz/post/2019/05/21/criacao-dos-ministerios-das-cidades-e-da-integracao-nacional-pode-ser-abandonada.ghtml

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: