Guias levam a fama do “bom e barato” da Região da 44 para todo o Brasil

Responsáveis pelas centenas de excursões que trazem, em média, 150 mil turistas de compras para a capital por semana, esses profissionais têm uma participação importante na enorme cadeia de empreendedorismo do segundo maior polo de confecção e moda do País

image

Por semana, a Região da 44 em Goiânia recebe cerca de 150 mil pessoas e grande parte deste público, oriundo de várias partes do Brasil, é trazida por guias especializados no turismo de compras. A estimativa, segundo o presidente da Associação Empresarial da Região da 44 (AER44), Jairo Gomes, é de que cerca de 150 profissionais atuem regularmente no polo de comercial, organizando e coordenando execuções para a capital.

Conforme levantamento da AER44 feito junto aos hotéis da região, dos 600 mil compradores que frequentam mensalmente o segundo maior polo distribuidor de moda e confecção do Brasil,  mais da metade vem por meio dos guias turísticos. Espírito Santo, Minas Gerais e Pará estão entre os principais estados de origem destes visitantes recebidos na 44.

E agora, nos três últimos meses do ano, quando a média de visitantes aumenta em até 40% na região, devido ao impacto das compras de fim de ano, o trabalho desses guias é ainda maior. “Os guias de turismo e organizadores de execuções têm uma participação muito importante nesta enorme cadeia de empreendedorismo que é a Região da 44. Afinal, são eles que captam os turistas de compras em seus estados de origem e os trazem para nossa cidade. Eles levam para todo o Brasil essa boa fama que a moda de Goiânia tem”, afirma Jairo Gomes.

Muitos desses guias também organizam excursões para outros pólos de compra no País, como  Santa Cruz do Capibaribe (PE) e o Brás (SP), mas alguns se especializaram no turismo de compras em Goiânia. É o caso da capixaba Margarida Antunes, guia autorizada pela Embratur e que há 25 anos organiza caravanas para a capital. “Antes os turistas procuravam a Feira Hippie, o Setor Campinas, as regiões do Setor Fama e da AV. Bernardo Sayão. Então vieram as primeiras galerias, como o Shopping Imperial e a Sulfabril”, conta Margarida que se diz uma apaixonada por Goiânia.

Só com seu trabalho de guia e organizando excursões, Margarida diz, com orgulho, que conseguiu formar as duas filhas e ajudou a criar quatro sobrinhos. “Levo para Goiânia toda semana de 30 a 40 turistas de compras, a grande  maioria vem da Grande Vitória, no Espírito Santo”, afirma.

Margarida conta que começou a ser guia no ano de 1992. Segundo ela, naquela época tinha uma loja de confecções bem pequena em Vitória, capital capixaba. “Eu tinha essa loja e descobri um grupo de compras que sempre viajava para varias cidades. De tanto viajar, decidi eu mesma organizar esses grupos e fazer a excursões. Então em 2001 fiz o curso da embratur e desde então passei a me dedicar exclusivamente ao turismo de compras”, afirma.

Com mais de 20 anos atuando no turismo de compras de Goiânia, Margarida afirma, seguramente, que a Região da 44 tem tudo para crescer ainda mais e ultrapassar a região o pólo do Brás, em São Paulo. “Quem trabalha nesse atacado de moda tem procurado muito por Goiânia. Em São Paulo tem havido uma invasão de produtos chineses, que não conseguem ocupar o lugar que a ‘modinha’ produzida em Goiânia tem. As pessoas que vêm comprar aqui falam muito bem da qualidade e dos preços dos produtos, que é tudo bom e barato”, argumenta Margarida.

Produto diferenciado

Atuando há mais 30 anos no mercado de excursão de compras, o guia Jiverson Tomaz, também confirma que a qualidade da moda produzida em Goiânia faz da Região da 44 um sucesso entre sacoleiras e compradores de confecção em todo o Brasil.

“Aqui em Goiânia realmente é diferenciado. As mercadorias aqui, geralmente, são produções próprias, enquanto em São Paulo são produtos importados de outros estados e países. A qualidade das roupas vendidas na 44 é muito superior à de São Paulo”, diz Jiverson, que traz mensalmente cerca de 90 turistas de compras para a cidade, sendo que 80% oriundos do Espírito Santo e os outros 20% de Minas Gerais e Bahia.

Promovendo excursões de compras para Goiânia há 12 anos, Jeverson diz que também organiza caravanas para outras cidades como Fortaleza (CE) e Santa Cruz do Capibaribe (PE). Ele diz que passou a fazer a rota de Goiânia justamente pela fama de oferecer produtos bons e baratos, que a capital goiana tem. “O turismo e compras aqui tem crescido muito nos últimos anos e tem espaço de para crescer mais”, diz o guia.

(FONTE: ASSOCIAÇÃO EMPRESARIAL DA REGIÃO DA 44 – AER44)

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: