A Rede Nacional Pró-Aprendiz (Renapsi), instituição formadora responsável por operacionalizar os contratos do programa Jovem Cidadão em Goiás, anunciou, na tarde desta quarta-feira (27), por meio das redes sociais, o fim do vínculo entre a organização e a Secretaria de Desenvolvimento Social do Governo de Goiás (SEDS). Com a medida, mais de 4.417 jovens, de 14 a 18 anos, que integram o programa podem ter os contratos interrompidos.

De acordo com a gerente da Renapsi, Ana Kárita, o vínculo com o Estado se encerra no próximo dia 14, e conforme repassado pela secretaria, não será prorrogado. A preocupação, segundo ela, é que ainda não há processo de licitação aberto para a contratação de uma nova instituição. “Creio eu, com a experiência que tenho, que esse processo licitatório não acontece antes de 90 dias. Como fica o jovem? Os contratos desses meninos terminam automaticamente dentro de 14 dias, depois disso eles estarão desamparados”, disse.

Segundo a gestora, o programa não é um mero contrato de trabalho terceirizado de funções administrativas, mas sim de formação profissional com duração de até 24 meses, podendo variar devido a idade do jovem. “A interrupção do termo de colaboração entre a instituição formadora e o Estado afeta diretamente o jovem, pois paralisa sua aprendizagem antes de sua conclusão. É como se um estudante universitário fosse impedido e concluir sua graduação”, afirmou

Saiba mais em: https://www.emaisgoias.com.br/mais-de-4-mil-jovens-podem-ter-contratos-interrompidos-apos-fim-de-vinculo-entre-renapsi-programa-jovem-cidadao/

(Fonte: Mais Goiás)