Sistema de monitoramento por tornozeleiras eletrônicas sofre com atraso de pagamento

Nesta segunda-feira (19/11) a empresa Spacecom suspendeu o serviço de monitoramento por tornozeleiras eletrônicas no Estado de Goiás, alegando um atraso no pagamento no valor de R$ 6,54 milhões de reais, o que equivale a quase 12 meses de serviço prestado.

O monitoramento foi suspenso para os agentes Diretoria de Administração Penitenciária do Estado de Goiás (DGAP). Porém, após uma negociação uma hora e meia depois o funcionamento do acompanhamento dos presos com tornozeleiras eletrônicas foi reestabelecido. O acordo é que uma parcela da dívida seja paga amanhã, 20, pelo governo de Goiás. Caso o pagamento desta parcela não seja efetuado, a empresa vai suspender os serviços novamente.

Em nota a DGAP, afirmou que a Spacecom concordou em não desligar os equipamentos uma vez que as faturas em aberto, estão em processo para serem pagas.

Desde o ano passado a empresa que presta serviços e o governo de Goiás estão com dificuldades para entrar em acordo. No mês passado, foi levantada a possibilidade do monitoramento ser suspenso, porém, após uma reunião entre integrantes da empresa e do governo, uma parcela foi paga e serviço não foi suspenso.

Confira a nota da Spacecom na íntegra sobre a suspensão dos serviços:

“A Spacecom Monitoramento S/A – empresa responsável pelo monitoramento com tornozeleiras eletrônicas no Estado de Goiás – informa que bloqueou hoje (19 de novembro), às 14h, o acesso ao monitoramento de sentenciados para os agentes penitenciários da Diretoria Geral de Administração Penitenciária – GO por atraso de mais de 12 meses no pagamento dos serviços.  

Os débitos em atraso do governo com a companhia somam R$ 6,54 milhões, referentes aos serviços já prestados e aprovados, sem considerar juros e multas contratuais.

A decisão da Spacecom, baseada nas cláusulas contratuais, foi tomada após várias e infrutíferas tentativas de recebimento dos valores devidos.”

 

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: